Como fazer uma rede de cadeia de valor para obra

Publicada 22/09/2018

Para manter uma oficina mecânica de uma obra operando com eficiência, precisamos montar uma cadeia de suprimentos (supply chain), que entregue valor.

1) Precisamos conhecer e cadastrar os fornecedores próximos a obra.

2) Separá-los por categorias, segmento de trabalho (ex: acessórios e implementos, peças de reposição, material eletro eletrônico, material de limpeza, serviços de usinagem, serviços de lanternagem, serviços de recondicionamento de pneus, etc)  e fabricante de atendimento (ex: marcas de fabricantes de equipamentos pesados, marcas de fabricantes de caminhões, marcas de fabricantes de veículos leves, etc)

3) Conhecer os fornecedores que são Locais, estão na mesma cidade onde está localizada a obra, os que estão no estado em que está a obra, e os de nível nacional.

4) Fazer um quadro de 4 quadrantes baseado na quantidade de fornecedores X valor do produto:

•1Q (Poucos Fornecedores e Valor Baixo do Produto)
•2Q (Muitos Fornecedores e Valor Baixo do Produto)
•3Q (Muitos Fornecedores e Valor Elevado do Produto)
•4Q (Poucos Fornecedores e Valor Elevado do Produto)

5) Calculando as médias de consumo destes materiais, fazer uma classificação ABC:

•Classe A => 20% dos itens que correspondem a 80% do valor
•Classe B => 30% dos itens que correspondem 15% do valor,
•Classe C => 50% dos itens que correspondem a 5% do valor

6) Fazer análise do consumo dos itens de desgaste e manutenção dos equipamentos separando-os em três grupos:

•Consumo R =>  Regular ou horizontal (filtros, Lubrificantes, etc)
•Consumo T => De tendência ou que tenham característica de crescimento ou redução ao longo da obra (pneus, material de desgaste, etc)
•Consumo S => Sazonal que tem oscilações regulares para mais e para menos (material elétrico, correias, molas, parafusos, etc)

7) Com estes elementos podemos montar uma cadeia de suprimentos baseada em valor.

•Q4AR => Contratos de fornecimento com foco na garantia de entrega
•Q3AR => Contratos de fornecimento com foco no preço e na qualidade
•Q2AR => Contratos de fornecimento com foco no preço, qualidade e entrega
•Q3AT => Contratos de consignado baseados na expectativa de consumo total
•Q3AS => Compra programada na expectativa de consumo total e entregas programadas conforme demanda calculada
•Q3BS => Compra local baseada na necessidade de consumo
•Q4BS => Contrato de fornecimento de serviço e ou compra baseada na necessidade
•Q2CS => Compras baseadas na necessidade com foco na negociação
•Q1CS => Compras baseadas na velocidade de entrega

Pronto, agora conseguimos montar uma cadeia de valor com base em segmento de fornecedores, localização dos fornecedores, montando uma estratégia de compra baseada no ticket médio, quantidade de fornecedores, consumo, gerando valor para a obra.

A MunLog pode ajudá-lo a localizar os fornecedores, conhecer sua qualidade de fornecimento e montar a estratégia logística de atendimento.

Assesse: www.munlog.com.br




ÚLTIMOS POSTS

Há 4 dias

Os 16 faróis da Indústria 4.0, segundo o Fórum Mundial

LER POST
13/11/2018

Como aumentar as vendas

LER POST
13/11/2018

Como reduzir custos em obras

LER POST